(15) 3224-3393 |contato@ ivoperezadv.com.br

Processo eletrônico do TJ/SP apresenta instabilidade

Processo eletrônico do TJ/SP apresenta instabilidade

O site do TJ/SP tem informado nos últimos dias uma série de interrupções no sistema de peticionamento eletrônico. A mais recente, desta segunda-feira, 6, devido a problemas de ordem técnica, fez com que o peticionamento e a consulta processual das duas instâncias apresentassem intermitência no acesso às aplicações superior a 60 minutos no dia.

Os advogados reclamam dos problemas técnicos, decorrentes da migração para o novo sistema do e-SAJ. Na sexta-feira, 3, o sistema esteve indisponível para os causídicos peticionarem, retornando ao funcionamento mais de 20h. A OAB/SP já solicitou reunião com o Tribunal bandeirante para tratar do assunto.

Melhorias no sistema

Durante o recesso forense, o sistema também esteve indisponível justamente devido às atualizações para melhorias no sistema.

A OAB/SP informou na semana passada que a advocacia “deve ficar atenta” ao início do funcionamento do novo sistema, que substituirá o atual e-SAJ a partir do dia 15/3. A alteração ocorre devido ao fim do plug-in Java, da Oracle.

Relatos de dificuldades, sugestões e críticas devem ser feitas no e-mail forum.pje@oabsp.org.br. A OAB/SP recomendou que os advogados façam o download e comecem a utilizar o novo sistema o quanto antes.

“Isso por que, em caso de dificuldade, ainda será possível peticionar no atual e-SAJ que, reforçamos, não estará mais disponível na segunda quinzena deste mês. Ou seja, detectar dificuldades enquanto ainda há alternativa de software para peticionar vai prevenir prejuízos irremediáveis.”

O TJ/SP promete um peticionamento eletrônico mais rápido com o novo sistema, que abrirá a possibilidade de inclusão de até vinte documentos ao mesmo tempo no processo, sem precisar aguardar a compressão dos arquivos. Além disso, o novo e-SAJ é compatível com softwares de leitura para deficientes visuais.

A seccional da Ordem divulgou nota pública (v. abaixo) somente em 22/1, quando estava pronto o sistema, foi convidada para participar de reunião para apresentação do projeto. “Não pode o direito do cidadão ficar à mercê de instabilidade de sistema de acesso”, consta na nota.

FONTE: MIGALHAS